Crítica: Castelos de Gelo

Castelos de Gelo conta a história da jovem Alexis Winston, mais conhecida como Lexie, e sua experiência como patinadora no gelo, desde criança. O filme retrata o estilo de vida de Alexis antes de ser uma patinadora famosa, quando morava em Iowa e seu hobbie era patinar num lago congelado que havia perto de sua casa.

Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução

Lexie possuía grande habilidade de patinação, mas via isto apenas como um hobbie, entretanto sua tia conseguiu fazer com que ela participasse de um torneio local, apenas para mostrar sua habilidade. No dia do torneio, Lexie apresentou-se de maneira simples e sensível, mas de um jeito especial, e isso comoveu a plateia, mas também a um treinador que lá estava. No final da competição, este treinador se ofereceu para prepara-la para ser uma competidora profissional.

A cada dia que passava, Lexie treinava mais, e o filme mostra cenas de vários treinos exaustivos com o seu novo treinador. Com o passar do tempo a garota foi aprimorando sua patinação, e chegou a classificar-se em primeiro lugar no campeonato estadual. Mas como tudo na vida, existiram os altos e baixos, e Lexie sentiu sua relação com o namorado e o pai se esfriando; há muito tempo não os vira ou conseguia conversar normalmente.

Em uma comemoração, Lexie deseja sentir-se livre e vai patinar em um lago congelado perto dali, lembrando tempos antigos quando não era patinadora profissional, neste lugar ela cai e bate a cabeça no gelo, e o resultado disto não foi animador. Lexie volta para casa e sente-se desanimada, mas o pai e o namorado não querem deixar assim. Incentivam-a a patinar novamente, realizando diversos treinos, e assim ela sente-se disposta a ir para a competição nacional.

A apresentação de Lexie na nacional é belíssima. A plateia joga várias flores e ursos de pelúcia no gelo quando a menina estava saindo, e isso acaba por fazê-la cair, seu namorado vai ajudá-la e assim a platéia pode descobrir que Alexis estava cega, mas mesmo assim fez aquela linda apresentação.

O filme em si traz uma mensagem realmente maravilhosa sobre superação pessoal e nos ensina a persistir com nossos sonhos, acreditar em nós mesmos, e que com os laços que construímos ao longo da vida podemos seguir, não importando o que aconteça. No longa, a deficiência não é usada para tornar a história triste, por mais que quem assiste tenha essa sensação quando descobre a situação da garota, mas a deficiência ali é para inspirar a superação.

O filme vai envolvendo o espectador aos poucos, e assim conta uma história magnifica e comovente. O final deixa a desejar, quando acaba mostrando o casal de namorados se beijando, dando a sensação de que poderia haver algo mais. O roteiro e fotografia foram excelentes, algumas partes mostram a visão turva de Lexie, o que aproxima ainda mais quem assiste a obra.

Sinopse

Alexis Winston (Taylor Firth) é uma patinadora que sonha em ganhar uma competição e ser famosa no esporte. Quando um treinador resolve investir em sua carreira, ela deixa para trás a família e o namorado para perseguir o seu sonho. Só que um terrível acidente tira sua visão, e seus planos parecem arruinados. Ela precisará da ajuda daqueles que a amam se quiser deixar de ser uma menina comum, agora cega, e se tornar uma estrela no mundo da patinação.

Ficha Técnica
Título: Castelos de Gelo
Título original: Ice Castles
Duração: 95 minutos
Gênero: drama, romance
Direção: Donald Wrye
Roteiro: Michael Mahoney
Distribuição:  Sony Pictures
Nota: 4/5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *